A nova edição da revista ABC Cardiol está no ar

Confira os artigos destaques do mês de junho



A edição de junho dos Arquivos Brasileiros de Cardiologia (ABC Cardiol) traz o estudo "Custo-efetividade do Emprego do Escore de Cálcio Coronariano na Orientação para a Decisão Terapêutica na Prevenção Primária, na População Brasileira”. Segundo o artigo, graças às novas formas de classificar o risco de eventos cardiovasculares na prevenção primária, que são recomendadas pelas diretrizes das principais sociedades de cardiologia do mundo, observa-se aumento significativo na população elegível para o uso de estatinas.


De acordo com a pesquisa, é relevante a avaliação da efetividade e da custo-efetividade dessa ferramenta em comparação a outros mecanismos de estratificação de risco da população, com o objetivo de orientar a prática clínica, bem como direcionar estrategicamente os esforços e recursos da saúde. Leia na íntegra aqui.


A seguir confira alguns dos destaques desta edição:


LncRNAs podem estar envolvidos em vários processos associados à aterosclerose


No artigo de revisão “Os LncRNAs estão envolvidos no processo de aterosclerose em diversos níveis”, resumiu-se o progresso recente dos LncRNAs no desenvolvimento da aterosclerose. Os autores descreveram, principalmente, os diversos mecanismos regulatórios dos LncRNAs nos níveis transcricionais e pós-transcricionais. Além disso, o estudo pode fornecer informações úteis sobre os LncRNAs como alvos terapêuticos ou biomarcadores para o tratamento da aterosclerose. Leia na íntegra aqui.


Artigo investiga efeitos da quimioterapia no coração de pacientes com linfoma


Estudo intitulado “Aumento de captação cardíaca de F-FDG induzida por quimioterapia em pacientes com linfoma: Um marcador precoce de cardiotoxicidade?”, buscou identificar potenciais sinais metabólicos precoces de lesão cardíaca pela avaliação da captação miocárdica de 18F-FDG por PET/CT em pacientes com linfoma antes, durante e/ou após quimioterapia. Leia na íntegra aqui.


Estudo analisa a morbimortalidade por doenças cardiovasculares em países de língua portuguesa

O artigo “Carga de doenças cardiovasculares atribuível aos fatores de risco nos países de língua portuguesa: Dados do Estudo Global Burden of Disease 2019”, ressalta que as DCVs também têm impactado significativamente na morbidade, sendo importantes causas de incapacidade e, consequentemente, de perda de anos de vida saudáveis. Para estabelecer estratégias de controle e prevenção das DCVs, é fundamental conhecer os principais fatores de risco cardiovasculares e suas prevalências. Lideram o ranking a hipertensão arterial e os fatores diabéticos. Leia na íntegra aqui.


Trabalho demonstra adaptações hemodinâmicas presentes na cardiomiopatia chagásica


O artigo “A curva volume-tempo obtida pela ecocardiografia tridimensional na cardiomiopatia chagásica: análise do mecanismo das adaptações hemodinâmicas”, publicado nos Arquivos Brasileiros de Cardiologia (ABC Cardiol) de junho de 2022, buscou demonstrar as adaptações hemodinâmicas presentes na cardiomiopatia chagásica por meio das medidas de volume e fluxo obtidas pela curva volume-tempo por meio da ecocardiografia 3D. Leia na íntegra aqui.


Estudo compara a prática de TAVI na América Latina com outras partes do mundo


O artigo “Evolução e estado atual das práticas de Implante Transcateter de Válvula Aórtica na América Latina – Estudo WRITTEN LATAM” buscou comparar a prática de TAVI na América Latina com aquela no resto do mundo e avaliar suas mudanças, de 2015 a 2020. A pesquisa foi realizada em centros de TAVI em todo o mundo, entre março e setembro de 2015, e novamente nos centros latino-americanos, entre julho de 2019 e janeiro de 2020. As seguintes questões foram abordadas: i) informação geral sobre os centros; ii) avaliação pré-TAVI; iii) técnicas do procedimento; iv) conduta pós-TAVI; v) seguimento. As respostas da pesquisa dos centros latino-americanos em 2015 (LATAM15) foram comparadas àquelas dos centros no resto do mundo (WORLD15) e ainda àquelas da pesquisa dos centros latino-americanos de 2020 (LATAM20). Adotou-se o nível de significância de 5% na análise estatística. Leia na íntegra aqui.


Artigo aborda importância do exercício físico na prevenção e tratamento da hipertensão e do infarto


A carta científica “Exercício físico e MicroRNAs: Mecanismos moleculares na hipertensão e infarto do miocárdio”, tem como objetivo enfatizar a importância do exercício físico (EF) na prevenção e tratamento dessas doenças cardiovasculares, bem como explicar o papel dos miRs induzidos pelo EF nestas condições patológicas. O estudo concluiu que o EF é uma excelente estratégia para prevenir e tratar indivíduos com hipertensão e pós-infarto do miocárdio. Os miRs modulados por EF têm sido descritos como reguladores das vias de sinalização, induzindo modificação do fenótipo cardíaco e vascular em ratos hipertensos, promovendo redução da pressão arterial, hipertrofia cardíaca fisiológica e remodelação arterial, com melhora da função endotelial. Leia na íntegra aqui.


Artigo avalia ocorrência de óbito e infarto na fase precoce em pacientes sem e com elevação de troponina


O artigo “Troponina I por Percentil 99 da Definição Universal de Infarto do Miocárdio versus Ponto de Corte de Melhor Acurácia em Síndromes Coronárias Agudas”, publicado nos Arquivos Brasileiros de Cardiologia (ABC Cardiol) de junho buscou avaliar a ocorrência de óbito e infarto agudo do miocárdio na fase precoce em pacientes sem elevação de troponina (<0,034 ng/mL), pacientes com mínima elevação [acima do percentil 99 (>0,034 ng/mL e <0,12 ng/mL)], e pacientes com maiores elevações [acima do ponto de corte para IAM pelo kit utilizado (≥0,12 ng/mL)]; assim como avaliar o impacto dos níveis de troponina na indicação de estratégia invasiva e revascularização miocárdica. Foram avaliados 494 pacientes com SCA. Troponina maior que percentil 99 e abaixo do ponto de corte, assim como valores maiores (acima do ponto de corte), foram associados à maior incidência do desfecho composto (p<0,01) e de revascularização percutânea ou cirúrgica (p<0,01), sem diferença significante em mortalidade até 30 dias. Leia na íntegra aqui.


Para ler a revista ABC Cardiol de junho, na íntegra, acesse: https://abccardiol.org/


211 visualizações