Artigo avalia ocorrência de óbito e infarto em pacientes sem e com elevação de troponina

Atualizado: 15 de jun.

A Definição Universal de Infarto do Miocárdio recomenda a detecção de curva de troponina acima do limite superior do percentil 99


O diagnóstico de síndrome coronária aguda (SCA) e a estratificação de risco contemporâneos são fundamentais para o manejo apropriado e redução da mortalidade e eventos isquêmicos recorrentes, tanto na fase aguda quanto após hospitalização. A Definição Universal de Infarto do Miocárdio recomenda a detecção de curva de troponina acima do limite superior do percentil 99.


Nesse contexto, o artigo “Troponina I por Percentil 99 da Definição Universal de Infarto do Miocárdio versus Ponto de Corte de Melhor Acurácia em Síndromes Coronárias Agudas”, publicado nos Arquivos Brasileiros de Cardiologia (ABC Cardiol) de junho buscou avaliar a ocorrência de óbito e infarto agudo do miocárdio na fase precoce em pacientes sem elevação de troponina (<0,034 ng/mL), pacientes com mínima elevação [acima do percentil 99 (>0,034 ng/mL e <0,12 ng/mL)], e pacientes com maiores elevações [acima do ponto de corte para IAM pelo kit utilizado (≥0,12 ng/mL)]; assim como avaliar o impacto dos níveis de troponina na indicação de estratégia invasiva e revascularização miocárdica.


Foram avaliados 494 pacientes com SCA. Troponina maior que percentil 99 e abaixo do ponto de corte, assim como valores maiores (acima do ponto de corte), foram associados à maior incidência do desfecho composto (p<0,01) e de revascularização percutânea ou cirúrgica (p<0,01), sem diferença significante em mortalidade até 30 dias.


Pacientes com maiores níveis de troponina apresentaram maiores proporções de idosos, maior duração da dor torácica, escores de risco GRACE e CRUSADE mais elevados, menores valores de clearance de creatinina e de FEVE, e maior taxa de ocorrência de lesão renal aguda na fase hospitalar.


O estudo concluiu que valores de troponina elevados acima do percentil 99 pela Definição Universal de IAM apresentam papel prognóstico e agregam informação útil ao diagnóstico clínico e escores de risco na identificação de pacientes com maior probabilidade de benefício com estratificação invasiva e procedimentos de revascularização coronária.


Referências: Tapias FilhoAH, OliveiraGBF, FrançaJID, RamosRF. Troponina I por Percentil 99 da Definição Universal de Infarto do Miocárdio versus Ponto de Corte de Melhor Acurácia em Síndromes Coronárias Agudas. Arq. Bras. Cardiol. 2022;118(6):1006-15.


Leia o artigo na íntegra, acesse: Troponina I por Percentil 99 da Definição Universal de Infarto do Miocárdio versus Ponto de Corte de Melhor Acurácia em Síndromes Coronárias Agudas

80 visualizações