Webinar reforça prevenção e cuidado da insuficiência cardíaca

Evento liderado pelo Departamento de Insuficiência Cardíaca, da SBC, será promovido em parceria com o laboratório farmacêutico Servier, e ocorre no Dia Nacional de Alerta Contra a Insuficiência Cardíaca, 9 de julho, às 20h


A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e o laboratório farmacêutico Servier realizam, no próximo dia 9 de julho, às 20h, a conferência “Construindo uma nova jornada rumo ao cuidado certo na Insuficiência Cardíaca”. O evento ocorre exatamente no Dia Nacional de Alerta Contra a Insuficiência Cardíaca, doença que atinge cerca de três milhões de brasileiros e é a terceira causa de internação em pacientes com mais de 60 anos, estando presente em até 10% dos indivíduos com idade superior a 65 anos.


O debate online contará com as participações do presidente do Departamento de Insuficiência Cardíaca (DEIC), da SBC, Evandro Tinoco Mesquita; do coordenador do Projeto Insuficiência Cardíaca, da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), Múcio Tavares de Oliveira Junior, e do diretor médico do Laboratório Servier, Abraham Benjamin Epelman. A transmissão será através das redes sociais do DEIC/SBC (@deic_sbc) e do Servier (@servierdobrasil).


“Nos últimos quatro anos, especificamente, o DEIC tem levado para as diferentes regiões do Brasil ações de conscientização da população sobre insuficiência cardíaca. A cidade de Niterói, no Rio de Janeiro, já possui um dia municipal de alerta contra essa doença e queremos que isso se torne presente em todo o país. Em 9 de julho, nasceu Carlos Chagas, que descobriu a insuficiência cardíaca”, o presidente do DEIC/SBC.


Segundo Mesquita, a doença é hoje uma pandemia. São, aproximadamente, 26 milhões de casos em todo o mundo. É preciso promover acesso a todos os pacientes, além de focar em ações para prevenção, o que inclui controle da hipertensão, do diabetes e do colesterol alto, evitando, assim, infarto e obstrução das coronárias, a principal causa da insuficiência cardíaca.


“Manter comportamentos de autocuidado como pesagem diária para monitorar a retenção de fluidos, monitorar a pressão arterial e a frequência cardíaca, comer uma dieta saudável, aderir ao plano de medicação e se exercitar regularmente pode ser difícil. Os profissionais de saúde devem ajudar os pacientes com insuficiência cardíaca a desenvolverem suas próprias estratégias para se manterem motivados e engajados em seus cuidados”, garante Mesquita.


A SBC está começando a trilhar caminhos para criar uma ampla discussão com toda a cadeia de saúde para melhorar a jornada do paciente com insuficiência cardíaca, da atenção básica ao cuidado paliativo. O DEIC está promovendo uma construção de enxergar o problema sob as perspectivas econômica, social e, claro, médica.


A insuficiência cardíaca deve ser encarada como uma doença crônica que pode apresentar remissão, mas não a cura e, por isso, os cuidados devem ser contínuos e com uma combinação de tratamentos medicamentoso e não medicamentoso.


O moderno tratamento exige uma abordagem multidisciplinar integrada, onde os médicos de família têm um papel importante, assim como o acesso aos cuidados e à tecnologia, como é o caso dos peptídeos natriuréticos, que ajudam os profissionais a detectar o aumento da pressão no coração, o status de congestão, e o ecocardiograma, que avalia a morfologia e a função cardíaca de uma maneira pormenorizada.


“Nesse dia de alerta, queremos evidenciar a jornada do paciente, desde a prevenção, a promoção cardiovascular, para que as pessoas, nesse país, possam não ter obesidade, hipertensão, sedentarismo, que são fatores que acabam conduzindo à diabetes, doença coronária, os grandes fatores de risco para o surgimento da insuficiência cardíaca”, fala Mesquita.


Ele lembra que em algumas regiões da América Latina, a Doença de Chagas ainda é um problema grave e no Brasil, está relacionado à algumas formas de transmissão oral na Amazônia brasileira.


O presidente do DEIC/SBC reconhece que Carlos Chagas foi um grande líder que organizou a saúde pública brasileira e, certamente, suas ideias contribuíram para a implementação do Sistema Únicos de Saúde (SUS).


“O DEIC e a SBC têm muito orgulho de estarem promovendo a ativação do paciente em relação a estar tendo a insuficiência cardíaca e ajudando a debater e a levar esse tema a todo o Brasil. A Servier tem sido, desde o primeiro momento, parceira do departamento nessa causa”, finaliza Mesquita.


159 visualizações