SBC lança livro que narra os 100 anos da Cardiologia no país

Atualizado: 1 de jun.

A obra “Bases históricas da Cardiologia e desenvolvimento no Brasil” que tem a coordenação do professor e cardiologista Carlos Antônio Mascia Gottschall foi lançada durante a cerimônia de posse do Conselho Administrativo da SBC


O lançamento do livro “Bases históricas da Cardiologia e desenvolvimento no Brasil” aconteceu durante a cerimônia de posse do Conselho Administrativo da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), em 19 de maio, no Museu do Amanhã (RJ).


Sob a coordenação do professor e cardiologista Carlos Antônio Mascia Gottschall, a obra retrata os 100 anos dessa especialidade no país e faz parte, do projeto “Memória da Cardiologia Brasileira”, publicação que contou com o apoio dos historiadores Daiane Silveira Rossi e Cristiano Enrique de Brum no trabalho de pesquisa e escrita, além de uma comissão composta por 17 médicos,


Com prefácio assinado pelo ex-presidente da SBC e atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e posfácio, do membro do Conselho Administrativo e também ex-presidente da entidade, Celso Amodeo, o livro faz um relato detalhado de todo o percurso da Cardiologia durante o último século, desde os inícios mais “nebulosos” e menos conhecidos até todos os avanços importantes que levaram à criação da especialidade como se conhece hoje.


Dividida em duas partes, a primeira conta as origens da Cardiologia desde a visão antiga da ciência com as primeiras noções dos gregos sobre vasos sanguíneos, coração e circulação como também, a descoberta da circulação pulmonar e as pesquisas do médico e cientista inglês William Harvey, considerado o pai da Cardiologia e responsável pela descoberta da circulação do sangue, uma das mais importantes do milênio. Aborda também as primeiras medidas do coração, as primeiras drogas para o tratamento de doenças cardiológicas, o estetoscópio, o surgimento do eletrocardiograma e as peculiaridades da estrutura do miocárdio.


“O coração sempre causou fascínio. O coração e a história da Cardiologia foram a espinha dorsal do maior ou mais belo capítulo da história da medicina. O coração como um mistério na antiguidade; como objeto da filosofia natural greco-romana; como protagonista da maior descoberta médica do milênio passado: a descoberta da circulação do sangue. O coração como primeira especialidade médica a desvincular-se da clínica médica do início do século XX e, ainda, como protagonista de inúmeras descobertas científicas atuais”, falou Gottschall durante o evento de lançamento, ao citar fatos históricos que construíram a Cardiologia atual.


Além disso, na primeira parte, descrevem-se os primeiros praticantes da especialidade no Brasil, que, mesmo com ações rudimentares, ainda no século XIX começaram a “desbravar esse terreno”. São citados, entre outros mestres, Jairo de Almeida Ramos, Dante Pazzanese, Nelson Botelho Reis, Luiz Décourt, Rubens Maciel e Carvalho Azevedo. O livro, como não podia ser diferente, menciona a fundação da SBC, em 1943.


“Esta Sociedade abriga clínicos e cirurgiões, oferece cursos de formação e de atualização, edita a mais importante revista de Cardiologia da América Latina, possui um distintivo que a identifica desde que foi fundada, é fonte de inúmeras glórias e jamais poderá ser esquecida ou substituída”, disse Gottschall, durante a solenidade.


A parte do livro, por sua vez, registra marcos do desenvolvimento da Cardiologia no Brasil, como a Escola de Manguinhos e a doença de Chagas, discute o perfil dos presidentes da SBC, a atuação dos departamentos e sociedades estaduais, a história das mulheres na especialidade e o papel histórico das universidades brasileiras em relação à Cardiologia, e aborda questões atinentes a relações internacionais, inovações, fármacos, epicentros credenciados de ensino e centros de pós-graduação ligados à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e ao Ministério da Educação, que funcionam como desenvolvedores do ensino e da pesquisa mais diferenciada na área cardiológica.


Finalmente, são narrados os avanços dos últimos 30 anos, com depoimentos de médicos cardiologistas sobre perspectivas nas áreas clínica, cirúrgica e intervencionista, e uma discussão sobre a pandemia da Covid-19 e o papel da SBC na atenuação em uma das maiores emergências sanitárias da história.











50 visualizações