SBC envia ofício ao MS



Diante dos impactos que as atuais tabelas de procedimentos, medicamentos, órteses, próteses e materiais especiais do Sistema Único de Saúde (SUS) tem causado na assistência à saúde, a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), em conjunto com a Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI), com a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC) e com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (SBCCV), instituiu um grupo de trabalho que pleiteou, em comunicado encaminhado ao Ministério da Saúde, a participação equânime destes representantes da cardiologia brasileira na análise de propostas da atualização dos valores nas tabelas de remuneração e custeio e novos modelos de remuneração do atendimento cardiológico no SUS.


No entanto, apesar de sua representatividade e proatividade em participar da causa, a SBC não foi convidada a participar da reunião técnica realizada pelo Departamento de Atenção Especializada e Temática do Ministério da Saúde (DAET/SAES/MS), no último dia 24 de janeiro, que tratou do tema.


"Sendo a SBC é uma entidade apolítica, apartidária e impessoal, o fato de termos sido a única não convidada entre as sociedades representantes da cardiologia brasileira nos causou estranheza", salienta João Fernando Monteiro Ferreira, Presidente do Conselho Administrativo da Sociedade.


A entidade enviou um ofício ao DAET ressaltando ser a maior sociedade médica de cardiologia do Brasil e representar toda a cardiologia nacional, reiterando sua disponibilidade em participar das discussões.


Clique aqui e acesse.

122 visualizações