SBC e Metrô de SP realizam aferição gratuita de pressão arterial na Estação Sé

Ação ocorre em 26 de abril, Dia Nacional da Prevenção e Controle da Hipertensão Arterial, das 9h às 14h


Em mais uma parceria com o Metrô de São Paulo, a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) realiza no próximo dia 26/4, das 9h às 14h, uma ação para aferição gratuita de pressão arterial na Estação Sé. A iniciativa ocorre exatamente no Dia Nacional da Prevenção e Controle da Hipertensão Arterial, data para conscientizar sobre a importância do diagnóstico preventivo e do tratamento da doença, que tem prevalência na população adulta brasileira em torno de 35%.


A hipertensão é caracterizada pela elevação sustentada dos níveis de pressão arterial, acima de 140/90 mmHg (milímetros de mercúrio), popularmente conhecida como 14/9 – o primeiro número se refere à pressão máxima ou sistólica, que corresponde à contração do coração; o segundo, à pressão do movimento de diástole, quando o coração relaxa.


Por se tratar de condição frequentemente assintomática, a doença costuma evoluir com alterações estruturais e/ou funcionais em órgãos-alvo, como coração, cérebro, rins e vasos. Ela é o principal fator de risco modificável com associação independente, linear e contínua para doenças cardiovasculares – entre elas o infarto agudo do miocárdio (IAM) e o acidente vascular cerebral (AVC), doença renal crônica e morte prematura. Associa-se a fatores de risco metabólicos para as doenças dos sistemas cardiocirculatório e renal, como dislipidemia, obesidade abdominal, intolerância à glicose e diabetes.


Aproximadamente 400 mil pessoas morrem por ano no Brasil em decorrência de doenças cardiovasculares. A cada dois minutos uma pessoa sofre um acidente vascular cerebral (AVC) ou um infarto agudo do miocárdio. Em 80% dos óbitos por AVCs e em 60% dos que foram causados por infartos os pacientes apresentavam hipertensão arterial.


Ao reconhecer qualquer um dos sintomas, como alteração do movimento e/ou da sensibilidade em uma parte do corpo; dificuldade de fala ou compreensão; dor de cabeça intensa e súbita; tontura ou alteração no equilíbrio; alteração da visão e/ou dificuldade para enxergar, náusea ou vômito, dificuldade para engolir e/ou perda da consciência (desmaio) – é importante procurar ajuda médica, pois os profissionais de saúde têm um curto espaço de tempo para atuar: a cada minuto, milhões de neurônios podem ser perdidos durante um AVC. Quanto mais cedo for iniciado o tratamento, maior é a chance de recuperação.


A hipertensão tem fatores de risco que são modificáveis e outros não modificáveis, como predisposição genética e envelhecimento. Por isso é de fundamental importância trabalhar aqueles que são passíveis de mudança, o que inclui: manter uma rotina saudável, tendo uma alimentação balanceada e evitando o sedentarismo – e consequentemente o sobrepeso e a obesidade.


Ainda de acordo com a SBC, o hábito de fumar, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, diabetes e outras doenças com causa cardíaca fazem parte do conjunto de fatores de risco, sendo importante também que a pessoa tente combater o estresse.


Medidas preventivas devem ser estimuladas. A aferição periódica dos níveis pressóricos propicia o diagnóstico precoce da doença, o controle da pressão arterial e dos fatores de risco associados, por meio da modificação do estilo de vida e/ou uso regular da terapia medicamentosa fazem parte do tratamento preconizado pelas Diretrizes de Hipertensão Arterial SBC.


A SBC recomenda que o paciente hipertenso consulte seu médico regularmente para fazer os controles necessários da pressão arterial. A pandemia do coronavírus fez com que muitas pessoas deixassem de ir a hospitais e consultórios por medo de sair à rua, o que aumentou o risco de hipertensão não controlada.


Campanha "Falando de Coração - Dia Nacional da Prevenção e Controle da Hipertensão Arterial”


Ação: Aferição gratuita de pressão arterial

Quando: 26/4

Onde: Estação Sé do Metrô de São Paulo

Hora: das 9h às 14h

172 visualizações