• eduardowdcom

SBC apoia reestruturação de hospital universitário em fundação em Manaus

Ação será em conjunto com a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas


A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) vai atuar em conjunto com a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam) na reestruturação do Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM), que será transformado em fundação. A parceria foi firmada no último dia 7 de agosto, quando o presidente da entidade, Marcelo Queiroga, se reuniu com o secretário interino de Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo, e a presidente da SBC-AM, Kátia Couceiro, na sede da Susam.


O governo do Amazonas passou a administrar de forma plena a unidade hospitalar em junho deste ano, após 17 anos sob o comando da Fundação de Apoio Institucional Rio Solimões (Unisol).


Durante o encontro, foram definidas várias ações em parceria entre a SBC e a Susam, como a realização de um programa de treinamento na área de urgência, além de trabalhar na ampliação de ações voltadas à educação e saúde, tanto no HUFM, quanto do Hospital Delphina Abdel Aziz, que será a unidade de retaguarda para esse tipo de atendimento.


Campêlo explicou que a ideia de contar com o apoio da SBC surgiu durante a audiência com a Comissão Legislativa do Estado, em julho, quando fez o convite a Kátia. “Com essa parceria estamos dando um passo gigantesco para que possamos oferecer um serviço ainda com mais qualidade aos nossos usuários.”

Queiroga informou que a interação e o diálogo com a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas são muito produtivos por contribuir na busca de soluções dos problemas na região e que a SBC vai trabalhar em conjunto com a Susam para melhorara assistência para que as pessoas vivam mais e melhor no Amazonas, que é um patrimônio não só no Brasil, mas de todo o mundo.


“Discutimos os problemas da assistência cardiovascular no Estado, desde a atenção primária até a alta complexidade. O objetivo é melhorar o desempenho da prestação do serviço de saúde, fazer com que os recursos humanos hoje disponíveis possam render melhor para que tenhamos condições de mudar a história natural das doenças, reduzindo a mortalidade cardiovascular. Há um empenho muito grande da Susam e dos médicos que integram os serviços públicos do Amazonas para que isso aconteça”, destacou.


Segundo Kátia Couceiro, a entidade tem condições de ajudar e estará disponível para cooperar e participar desse momento de transição no Hospital Universitário Francisca Mendes. “Pela primeira vez, vimos uma abertura da entidade pública com a Sociedade Amazonense de Cardiologia. É uma esperança termos um atendimento de maior qualidade para os amazonenses”, concluiu Kátia.

38 visualizações