Revisão sistemática e metanálise da ablação por cateter versus terapia com drogas antiarrítmicas

Achados sugerem maior eficácia da ablação por cateter que das drogas antiarrítmicas

como estratégia inicial de controle do ritmo cardíaco em pacientes com fibrilação atrial sintomática


A ablação por cateter é uma terapia bem estabelecida para controle do ritmo cardíaco em pacientes refratários ou intolerantes a drogas antiarrítmicas (DAA). Porém, a eficácia desse procedimento comparada à de DAA como estratégia de primeira linha no controle do ritmo cardíaco na fibrilação atrial (FA) é menos conhecida. A edição de julho dos Arquivos Brasileiros de Cardiologia (ABC Cardiol), disponível a partir do dia 7, trará os resultados de de um artigo que conduziu uma revisão sistemática e metanálise da ablação por cateter versus DAA em pacientes sem nenhum tratamento prévio para controle do ritmo.


Segundo os autores, recentemente, dois ensaios grandes, randomizados, investigaram o papel da ablação por cateter como uma terapia de primeira linha para o controle do ritmo em pacientes com FA sintomática. Esses estudos aumentaram substancialmente a população de pacientes randomizados para receberem ablação por cateter ou DAA como estratégia de primeira linha para controle do ritmo.


Nesta revisão sistemática e metanálise de cinco estudos e 994 pacientes, os autores compararam o procedimento de ablação por cateter e DAA como terapia de primeira linha para controle do ritmo cardíaco em pacientes com fibrilação atrial. Os principais achados foram: (1) a incidência de FA recorrente sintomática durante um período de um a cinco anos de seguimento foi aproximadamente a metade no grupo submetido à ablação em comparação ao grupo tratado com DAA; (2) essa diferença também foi estatisticamente significativa para redução de TAs, em favor do procedimento de ablação; e (3) a taxa de hospitalização foi três vezes menor nos pacientes submetidos à ablação.


O trabalho concluiu que, em resumo, a ablação por cateter reduz significativamente a recorrência da TA e FA sintomática em comparação à terapia com DAA em pacientes sem nenhuma tentativa prévia de tratamento de controle do ritmo. Este estudo apresenta evidências em favor do procedimento de ablação por cateter como indicação classe I para o controle de ritmo cardíaco em pacientes com FA paroxística.


Leia o artigo na íntegra na revista ABC Cardiol, edição de julho/2022. Acesse: https://abccardiol.org/


14 visualizações