Pandemia da Covid-19 impactou diagnóstico de doenças cardiovasculares na América Latina

Segundo artigo, publicado no ABC Cardiol, em janeiro de 2022, a Covid-19 está diretamente associada a uma redução significativa e abrupta de procedimentos diagnósticos cardíacos


Artigo publicado nos Arquivos Brasileiros de Cardiologia (ABC Cardiol), em janeiro de 2022, destaca o impacto da Covid-19 no diagnóstico de doenças cardíacas na América Latina. Segundo a pesquisa, compreender a relação entre as fases da pandemia, as medidas de distanciamento social e o fornecimento de diagnóstico de doenças cardiovasculares na América Latina é fundamental para melhor se preparar para situações semelhantes no futuro.


Os resultados obtidos mostram uma redução significativa no número de procedimentos diagnósticos cardíacos realizados na América Latina durante a pandemia. A maior redução ocorreu no mês maior distanciamento social (abril de 2020), nos períodos mais rígidos de quarentena de cada país.


Na maioria dos países latino-americanos, o isolamento social foi introduzido em março de 2020, mesmo sem um número significativo de casos da Covid-19. Em março e abril daquele ano, houve uma queda maior no número de diagnósticos cardíacos realizados na América Latina, em comparação com a Europa Ocidental (queda de 46% em março e 69% em abril) e os Estados Unidos e Canadá (queda de 39% em março e 68% em abril), apesar do fato de que estas regiões estavam enfrentando o primeiro pico da pandemia, enquanto a América Latina estava apenas nos estágios iniciais, no primeiro trimestre de 2020.


Além da mortalidade direta causada pelo novo coronavírus, houve preocupações crescentes em relação às consequências da pandemia nos sistemas de saúde. O medo do contágio nos hospitais e centros de saúde pode ter levado à relutância dos pacientes em se submeter a procedimentos de diagnóstico cardíaco. Além disso, as intervenções e consultas eletivas tiveram que ser adiadas para priorizar as questões relacionadas ao tratamento da Covid-19 e evitar a exposição dos pacientes a um risco desnecessário de infecção em ambientes hospitalares ou ambulatoriais.


O artigo concluiu que a Covid-19 foi associada a uma redução significativa e abrupta de procedimentos diagnósticos cardíacos na América Latina, a qual foi mais relacionada às medidas de distanciamento social do que ao aumento da incidência da doença. Segundo os autores, são necessários melhor equilíbrio e timing de medidas de distanciamento social e planejamento para manter o acesso a atendimento médico geral e atendimento cardiovascular, em particular, durante um surto pandêmico, especialmente em regiões com alta mortalidade cardiovascular.


Leia o artigo na íntegra, acesse: O impacto da Covid-19 no diagnóstico de doenças cardíacas na América Latina - Uma subanálise do INCAPS COVID

231 visualizações