Sede - Rio de Janeiro

Av. Marechal Câmara, 160

3º andar - Sala: 330 - Centro

Rio de Janeiro - CEP: 20020-907

Confira nossos contatos

Sede - São Paulo

Alameda Santos, 705

11º andar - Cerqueira César

São Paulo - CEP: 01419-001

Confira nossos contatos

Redes Sociais

  • workplace-logo
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

Sociedade Brasileira de Cardiologia | tecnologia@cardiol.br

  • Cardiol

Mortes por infartos crescem nos últimos anos

Estratégias para a prevenção da doença cardiovascular serão amplamente discutidas no Congresso da Sociedade Brasileira de Cardiologia, que começa hoje, dia 03, em São Paulo.

O número de mortes por infartos no Brasil, tanto em homens quanto em mulheres, segue em ritmo ascendente, segundo dados que serão debatidos no SBC 2017 - Congresso Brasileiro de Cardiologia, que começa dia 03 de novembro, em São Paulo. Há cinquenta anos, de cada dez mortes por infarto nove eram homens e uma mulher. Nos últimos seis anos, essa proporção está em seis homens e quatro mulheres, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia.

No evento, serão apresentados os dados mais recentes disponíveis, de 2010 a 2015 (quadro abaixo). No último ano morreram 65.224 homens e 46.625 mulheres por infarto. Para o presidente da SBC, Marcus Bolívar Malachias, os fatores de risco cardiovasculares, que tempos atrás afetavam em maior parte os homens, agora atingem ambos os sexos. "Homens e mulheres são impactados pelo estresse do dia a dia que, muitas vezes, impede as pessoas de praticar uma atividade física, levando à obesidade. Outros fatores como uma alimentação inadequada, cigarro, hipertensão, colesterol elevado, diabetes, entre outros, podem provocar um infarto precoce", alerta o cardiologista.



Em relação às mulheres, é preciso ficar atento aos sintomas do infarto que são, em muitos casos, diferentes da clássica dor no peito relatada por homens, como náuseas, vômitos, dor nas costas e no pescoço, falta de ar e indigestão. "Algumas hipóteses para essa diferenciação nos sintomas são as características biológicas, como variação hormonal; a negação ou subestimação do problema, o que dificultaria o diagnóstico e causaria atraso no tratamento; uma maior resistência à dor e fatores físicos e psicológicos, entre outros", explica Marcus Malachias.

No SBC 2017 - Congresso Brasileiro de Cardiologia, especialistas irão debater estratégias para melhorar a prevenção das doenças cardiovasculares e ainda aprimorar os métodos de diagnóstico nos atendimentos em emergência, principalmente em mulheres.


SERVIÇO: SBC 2017 - 72° Congresso Brasileiro de Cardiologia Data: 03 a 05 de novembro Local: São Paulo Expo Endereço: Rodovia dos Imigrantes, São Paulo/SP Site: http://cardio2017.com.br/

90 visualizações
  • workplace-logo
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram