Grupo Corpo encerrou eventos do Movidos pelo Coração

A apresentação do balé “Gira” aconteceu ontem, 29, Dia Mundial do Coração


Para encerrar a série de apresentações e eventos promovidos pelo projeto cultural Movidos pelo Coração, o Grupo Corpo subiu aos palcos na noite desta quarta-feira, 29 de setembro, para uma única apresentação de “Gira”. O balé, de 2017, é baseado na religiosidade afro-brasileira, tem música do grupo Metá Metá e coreografia de Rodrigo Pederneiras. Os espectadores puderam curtir o Grupo Corpo no canal do Youtube do Movidos pelo Coração (bit.ly/movidospelocoracao).


A 5ª edição do projeto que, neste ano, em função da pandemia, ofereceu atividades e apresentações culturais exclusivamente on-line, terminou no Dia Mundial do Coração. A data tem o objetivo de conscientizar a população a respeito dos problemas cardiovasculares e incentivar a modificação do estilo de vida com a adoção de hábitos mais saudáveis.


O projeto cultural Movidos pelo Coração fecha o mês de setembro tendo oferecido ao público 16 oficinas de arte, 15 sessões de contação de histórias, quatro apresentações de teatro de bonecos do Grupo Giramundo, três apresentações musicais - com a presença de Instituto Baccarelli, Meninos do Morumbi e Orquestra Ouro Preto -, um espetáculo de mágica com a dupla Henry Vargas e Klauss Durães e um espetáculo de dança com o Grupo Corpo. As atrações, voltadas para o público adulto e infantil, sensibilizam e tocam o coração, alertando para a importância com os cuidados que todos devem tomar com a saúde.


E, quando se analisa os números, fica evidente a necessidade de projetos que façam essa conscientização. As doenças cardiovasculares (DCV) são líderes de mortalidade no Brasil. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), cerca de 14 milhões de brasileiros têm alguma doença no coração e cerca de 400 mil morrem por ano em decorrência dessas enfermidades, o que corresponde a 30% de todas as mortes no país. Estima-se que até 2040 haverá aumento de até 250% desses eventos no país. São cerca de mil óbitos por dia, números que podem estar sendo agravados em função da pandemia da Covid-19.


O Movidos pelo Coração é um projeto incentivado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, apresentado por Sanofi e Bayer, e realizado por Sociedade Brasileira de Cardiologia, Malagueta Live Brand e Ministério do Turismo.


Mortes por problemas do coração motivam projeto cultural

O Movidos pelo Coração é motivado pela alta prevalência das doenças cardiovasculares no Brasil. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), cerca de 400 mil pessoas morrem, no Brasil, por ano em decorrência de enfermidades cardiovasculares. Segundo o presidente da SBC, Celso Amodeo, pressão e colesterol elevados, diabetes, obesidade, estresse e sedentarismo são conhecidos como prejudiciais, mas as pessoas não se cuidam e o coração sofre as consequências.


“Precisamos amplificar a mensagem para conscientizar e engajar a população cada vez mais. As doenças cardiovasculares são uma verdadeira epidemia evitável e é preciso combatê-las com informação qualificada, tal qual o projeto Movidos pelo Coração faz”, ressaltou o médico.


Marcus Bolivar Malachias, um dos fundadores do projeto, conta que a ideia partiu da necessidade da sociedade científica e da área cardiovascular se aproximarem das pessoas. “O Movidos pelo Coração nasceu dessa ideia de mobilizarmos parceiros para nos ajudar nessa missão importante de levar informação à população, porque acreditamos que informação é uma das mais poderosas armas para a prevenção das doenças e para o tratamento precoce que vai salvar vidas. E nada melhor do que a arte para falar do coração”, disse Malachias, que é governador do American College of Cardiology (ACC) Capítulo Brasil e ex-presidente da SBC.


Essa mesma visão é defendida pela Sanofi. “Valorizamos como missão gerar impacto positivo na sociedade por meio de iniciativas de educação em prol da saúde, conscientizando e empoderando a população. Uma das ambições que temos na Sanofi é reverter o curso da epidemia de doenças crônicas até 2030, transformando inovação científica em soluções de cuidados com a saúde”, afirma Luciana Miranda, diretora de Comunicação e Responsabilidade Corporativa da Sanofi.


Aumenta o número de mortes por doenças cardiovasculares no primeiro semestre de 2021

As doenças cardiovasculares (DCV) são líderes de mortalidade no Brasil. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), cerca de 14 milhões de brasileiros têm alguma doença no coração e cerca de 400 mil morrem por ano em decorrência dessas enfermidades, o que corresponde a 30% de todas as mortes no país. Estima-se que até 2040 haverá aumento de até 250% desses eventos no país. São cerca de mil óbitos por dia, números que podem estar sendo agravados em função da pandemia da Covid-19.


O receio da contaminação também tem feito pacientes portadores de doenças cardiovasculares, e de outras doenças agudas, que necessitam de acompanhamento médico, negligenciarem a rotina de saúde, deixando de ir ao médico. A SBC vem acompanhando a situação devido à redução no número de atendimentos cardiológicos de urgência no país durante a pandemia. Dados divulgados pela Arpen-Brasil (Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Brasil) mostram que houve aumento de quase 7% no número de óbitos por doenças cardiovasculares nos primeiros seis meses de 2021, em relação ao mesmo período de 2020. Foram mais de 140 mil mortes registradas contra mais de 150 mil no mesmo período deste ano.

20 visualizações