Espessura do tecido adiposo epicárdico e omentina em pacientes com fibrilação atrial

Estudo integra edição de julho/agosto da IJCS


Embora a remodelação elétrica e estrutural tenha sido reconhecida como importante na fisiopatologia da fibrilação atrial, os mecanismos subjacentes ao processo de remodelação são desconhecidos. Há crescente interesse no envolvimento de moléculas inflamatórias e adipocinas liberadas do epicárdio, tecido adiposo na fisiopatologia da fibrilação atrial.


Em estudo presente na edição de julho da revista International Journal of Cardiovascular Sciences (IJCS), disponível a partir do dia 7/7, buscou-se investigar a relação da fibrilação atrial com o aumento do tecido adiposo, moléculas inflamatórias liberadas desse tecido e omentina.


Segundo o artigo, não foi encontrada relação entre fibrilação atrial e níveis séricos de omentina ou marcadores. Uma relação entre a espessura do tecido adiposo epicárdico medida por ecocardiografia e fibrilação foi determinada.


Leia o artigo na íntegra na revista IJCS, edição de julho/agosto de 2022. Acesse: https://ijcscardiol.org/article/epicardial-fat-tissue-thickness-and-omentin-in-patients-with-atrial-fibrillation/


40 visualizações