• Cardiol

Dissertação avaliou psicometria da prova do Título de Especialista em Cardiologia da SBC

O cardiologista hemodinamicista, Gustavo Eugênio Martins Marinho, defendeu pesquisa para obtenção do Mestrado profissional em Ensino em Saúde pela UNIFENAS. Resultados desencadearão uma série de discussões e propostas para elaborações de provas no âmbito da especialidade


Há 77 anos uma das principais missões da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) é o compromisso com a educação continuada de cardiologistas de todo o país e ver essa ação refletida na prática dos profissionais é motivo de orgulho e a confirmação de que o caminho percorrido tem sido exitoso. Exemplo disso foi a dissertação de mestrado de Gustavo Eugênio Martins Marinho, defendida no dia 2 de fevereiro, pela Universidade José do Rosário Vellano (UNIFENAS), cuja pesquisa avaliou de maneira psicométrica a prova de Título de Especialista (TEC) da SBC.


O exame do TEC tem como objetivo distinguir o profissional médico apto a exercer a especialidade de Cardiologia Clínica, que tenha apresentado formação médico-científica adequada, de acordo com a SBC e a legislação vigente.


Em sua pesquisa, Marinho que é hemodinamicista e cardiologista titular da SBC, atesta que a certificação profissional está cada vez mais presente no currículo médico, seja por exigências do mercado até demandas jurídicas. Após longa jornada inicial para a formação, o médico pode escolher entre dois rumos para obter o título de especialista, seja por uma residência médica ou por uma especialização médica, desde que chancelados por entidades oficiais.


Neste último modelo, o profissional precisa, após a conclusão da especialização, realizar uma prova para a obtenção do título. A SBC, com auxílio da Comissão julgadora do TEC (CJTEC), promove anualmente uma prova com essa finalidade.


Até a realização desta dissertação não havia sido feita nenhuma avaliação psicométrica da prova do TEC da SBC em relação as Teorias clássicas dos Testes (TCT) e de Resposta ao Item (TRI), que buscam de forma técnica avaliar a qualidade dos itens envolvidos em um teste e de forma estatística mostram um perfil em relação ao grau de dificuldade, poder de discriminação e possibilidade de acertos ao acaso, o que permite uma análise crítica da qualidade da prova realizada.


Intitulada “Avaliação Psicométrica da Prova de Título de Especialista da Sociedade Brasileira de Cardiologia”, a dissertação de Marinho buscou avaliar as propriedades psicométricas da prova do TEC de 2019, em relação aos parâmetros da TCT e da TRI.


“Busquei analisar a qualidade da prova, se ela está sendo bem elaborada, qual o nível de dificuldade, o poder de discriminação das questões, se elas são mais fáceis de acertar ao acaso, se o instrumento está certificando o candidato que merece ser detentor do Título de Especialista. A prova de 2019 teve 118 questões e foi aplicada para 1120 candidatos. A educação médica hoje está cada vez mais presente nas instituições e a SBC está a cada ano se empenhando para aprimorar a comissão julgadora e o nível do exame”, destacou o autor do trabalho.


Atualmente Marinho integra a CJTEC e garante que seu estudo irá agregar valor para melhorar a qualidade da prova, identificando onde estão possíveis falhas. Segundo ele, a comissão é formada por especialistas em cardiologia, o que não significa que são especialistas na formulação de questões para provas.


A psicometria é um campo científico da Psicologia, que busca construir e aplicar instrumentos para mensuração de constructos e variáveis de ordem psicológica, aliada à métodos de análise estatística, principalmente a partir do refinamento matemático da análise fatorial, da modelagem de equações estruturais e da Teoria de Resposta ao Item, além de outras técnicas multivariadas, pelas quais são possíveis mensurar e analisar a estrutura de constructos psicológicos, ou mais precisamente processos mentais.


“O objetivo da dissertação foi justamente buscar soluções para testar escalas. Curiosamente não havia, até então, uma análise desse tipo feita por qualquer Sociedade Médica do mundo. Trata-se da primeira análise na literatura”, conta Marinho.


Resultados


A análise pela TCT demonstrou que a prova do TEC apresenta boa distribuição dos itens em relação ao grau de dificuldade, com uma tendência para maior facilidade. Pela TRI, das 118 questões avaliadas, apenas 49, ou seja, 41,5% possuem um fator satisfatório de discriminação.


“Os resultados apresentam uma visão inédita da prova do TEC e para as entidades oficiais que organizam o exame e, com isso, poderão desencadear uma série de discussões e propostas para as futuras construções de provas no âmbito da cardiologia e das demais especialidades médicas”, concluiu Marinho.


A dissertação está sendo ajustada para publicação e disponibilização a todos que se interessarem.

343 visualizações