Dia do Médico: uma reflexão sobre os desafios do futuro

Cabe a nós, profissionais da medicina, trabalharmos para ampliar a percepção da população a nosso respeito, ou seja, devemos encarar o desafio de sermos vistos também como agentes de prevenção e não apenas como aqueles que tratam das doenças.



A saúde do coração vive um momento de destaque perante a opinião pública diante de sazonalidades importantes que circundam o tema. No mês de agosto, dedicado à conscientização sobre o colesterol – fator de risco importante para as doenças cardiovasculares – também celebramos o Dia do Cardiologista, no dia 14. A data, não coincidentemente, ocorreu no mesmo dia em que comemoramos a fundação da Sociedade Brasileira de Cardiologia que, em 2022, completou 79 anos.


Já no mês de setembro, foi celebrado o Dia Mundial do Coração, 29, data que estimulou a criação do Setembro Vermelho, mais uma oportunidade para refletirmos sobre o tema de forma mais ampla. E, por fim, hoje, neste dia 18 de outubro, temos a oportunidade única de nos unirmos a todas as especialidades médicas quando comemoramos o Dia do Médico.


São enormes os desafios que temos a superar enquanto classe profissional, em especial após a pandemia que nos colocou na linha de frente do enfrentamento da doença e, posteriormente, seguiu nos desafiando diante dos enormes problemas ocasionados pela descontinuidade dos tratamentos como consequência do isolamento social.


O problema, embora não seja uma exclusividade na cardiologia, mas de todas as especialidades médicas que tratam as doenças crônicas, tem sido motivo de grande preocupação. No nosso caso, em especial, sobre aqueles pacientes em que se monitorar os fatores de risco como diabetes, hipertensão e colesterol, se faz necessário.


Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% das mortes cardíacas poderiam ser evitadas com mudanças no estilo de vida e no controle adequado dos fatores de risco. E o nosso papel como cardiologistas é olhar para prevenção e atenção primária, que vem se tornando cada vez mais importante.


Não é por acaso que, por meio desta conscientização sobre a importância da prevenção, que o tema é cada vez mais presente na agenda da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Nossa entidade vem executando diversos projetos voltados para a população.


Entre eles, destaca-se o “SBC vai à Escola”, que se propõe a influenciar crianças e adolescentes quanto aos cuidados com os principais fatores de riscos das doenças cardiovasculares. Mais de 300 escolas públicas já foram impactadas por meio de convênios com as secretarias estaduais e municipais de educação. Além disso, o programa iniciou uma parceira com as escolas mantidas pelo SESI.


Visando combater a descontinuidade dos tratamentos, fenômeno que se intensificou na pandemia, a SBC lançou no final de setembro a segunda edição da campanha “Parou por quê?”, voltada para pessoas acima de 40 anos com objetivo de conscientizá-las para não abandonar seus tratamentos. A campanha conta com intensa divulgação nas redes sociais e em peças publicitárias em rádios e televisões.


De olho nas regiões mais longínquas do país, a SBC implementou uma ação estratégica intitulada “SOS Coração Amazonas”, com objetivo de ampliar o acesso a tratamentos por meio da telemedicina, para auxiliar no atendimento prioritário aos pacientes com doenças cardiovasculares daquele estado, que tiveram ou não covid-19 durante o período de crise de emergência em saúde pública.


Acreditamos que ações como estas, coordenadas pelas sociedades médicas, se fazem necessárias para chamar atenção dos nossos colegas para o papel que desempenharemos no futuro. Em um cenário de franco envelhecimento da população brasileira e mundial, a prevenção deverá cada vez mais ganhar espaço nas políticas públicas de todos os países.


Neste Dia do Médico, é importante refletirmos sobre nosso papel. Cabe a nós, profissionais da medicina, trabalharmos para ampliar a percepção da população a nosso respeito, ou seja, devemos encarar o desafio de sermos vistos também como agentes de prevenção e não apenas como aqueles que tratam das doenças.


É com este olhar, voltado para uma reflexão sobre os desafios do futuro, que cumprimento todos os nossos colegas pelo Dia do Médico, com a certeza de que seguiremos trabalhando arduamente e com firmeza em nosso propósito de fortalecer a medicina brasileira através da promoção da saúde e do bem-estar de toda nossa população.


Feliz Dia do Médico!

João Fernando Monteiro Ferreira

Presidente do Conselho Administrativo da SBC

107 visualizações