Conversa com o paciente é fundamental

Campanhas de informação e atividades visam promoção da saúde e despertam a população sobre as questões de prevenção e tratamento dos fatores de risco para as doenças do coração


A Sociedade Brasileira de Cardiologia foi fundada em 1943, pelo dr. Dante Pazzanese, com o compromisso de expandir e divulgar o conhecimento na área da cardiologia, congregando médicos e profissionais da saúde que tenham interesse pela especialidade. Estimulando a pesquisa e divulgando junto à sociedade civil os aspectos epidemiológicos das doenças cardiovasculares, sua prevenção e tratamento.


O FUNCOR é o braço da SBC responsável pelos projetos educativos e assistenciais voltados para a sociedade civil. É por meio dele que são realizadas as campanhas de informação ao público leigo e atividades afins, visando à promoção da saúde e despertando a população sobre as questões de prevenção e tratamento dos fatores de risco para as doenças do coração. Com diretoria própria, ele realiza projetos na área da saúde em parcerias público e privada para efetivar suas ações, sempre pautadas em responsabilidade, compromisso e transparência.


Anteriormente chamado de Fundo Especial de Pesquisa e Aperfeiçoamento em Cardiologia – FEPAC, essa história começou em 1961, pela importância crescente que vinham apresentando as doenças cardiovasculares, como causa de morte e invalidez precoce no Brasil. Em 1965, o FEPAC promoveu pela primeira vez a Semana do Coração, assumindo o desafio de chamar a atenção do público leigo para a prevenção das doenças cardíacas, principalmente por meio da imprensa. Em 1968 é transformado em Fundação, para facilitar a captação de fundos, passa depois a chamar-se Fundo de Aperfeiçoamento e Pesquisa em Cardiologia – FAPEC e, até a compra de sua sede os diretores da entidade se reuniam na casa do professor Chiaverini, cuja esposa, Esther, era uma das grandes entusiastas da missão da entidade e transformou sua residência numa espécie de sede provisória do FAPEC.


Até 1979, quando o nome foi novamente mudado para Fundo do Coração – FUNCOR, grandes nomes da cardiologia brasileira trabalharam para a instituição, entre eles João Tranchesi, Bernardino Tranchesi, Fulvio Pileggi, Ruy Laurenti, Cantídio Moura Campos, Michel Batlouni, Ermelindo Del Nero, Celso Ferreira, Nabil Ghorayeb e Januário Andrade, entre muitos outros.


O sucesso do trabalho do FUNCOR é muito expressivo e bastante conhecido da população brasileira, com um foco nos trabalhos populacionais, visando à prevenção das doenças cardiovasculares no Brasil. Para atingir a sociedade como um todo, são dinamizados os dias temáticos realizados a cada ano num esforço grandioso.


Os dias temáticos usados para essa divulgação necessária do controle dos fatores de risco cardiovascular são os mais variados, Dia Internacional da Mulher, Dia de Prevenção e Combate à Hipertensão, Dia da Atividade Física, em parceria com o Agita São Paulo, Dia Mundial do Controle do Diabetes, Dia de Prevenção e Combate ao Colesterol e Dia de Controle do Tabagismo.


As atividades da SBC na prevenção cardiovascular se ampliaram no início desta década a partir de um maior estreitamento das relações com o Ministério da Saúde e Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde. Por meio da diretoria de Promoção da Saúde Cardiovascular começou-se a buscar que a imensa rede do Sistema único de Saúde (SUS) fizesse prevenção de doenças e promoção da saúde. "O desafio é imenso, pois é preciso mudar o sistema brasileiro do modelo hospitalocêntrico para um modelo em que a porta de entrada do sistema seja o posto de saúde, mais próximo da casa do paciente e não mais o hospital/pronto-socorro”, disse o diretor do departamento ​​à época, Carlos Alberto Machado. Foi na sua gestão que a SBC deflagrou a bandeira da prevenção ao criar o Programa Nacional de Prevenção Cardiovascular e propagá-lo por todo o país, com ações consistentes e acordos de cooperação com o Ministério da Saúde e Secretarias Estaduais e Municipais.


O atual diretor de Promoção de Saúde Cardiovascular – SBC/FUNCOR, José Francisco Kerr Saraiva, ressalta alguns pontos importantes da atuação hoje em dia: Em 2020, um acordo com o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) para promover conjuntamente a educação de equipes de saúde dedicadas à atenção primária de municípios brasileiros nos temas relativos à prevenção das doenças cardiovasculares. O projeto Cuidando do Coração tem abrangência nacional e leva os temas mais importantes sobre doenças crônicas não transmissíveis aos profissionais de 45 mil equipes de saúde da família, de 40 mil unidades básicas de saúde (UBS), distribuídas pelos 5.570 municípios brasileiros.


Dr. José Francisco Kerr Saraiva

“Discutir os problemas de saúde pública, promovendo a interação entre as Secretarias Municipais de Saúde do país e o Sistema Único de Saúde (SUS) e difundindo o conhecimento científico com integridade, ética e inovação, sempre foi o compromisso da SBC, que acredita que investir na atenção primária é essencial para a prevenção de doenças”, destaca Saraiva, ressaltando ser fundamental levar aos profissionais de saúde informações sobre as principais doenças crônicas não transmissíveis.


“Com este projeto, estamos levando ao clínico geral, ao médicos de família, ao generalista e aos médicos das UBS informação e diagnósticos das mais importantes patologias: hipertensão, lipidemias, insuficiência cardíaca, arritmias, obesidade, diabetes, e estamos conseguimos avançar muito com essa comunicação. Isso foi importante porque a SBC nunca teve tanta capilarização como agora, ao chegar inclusive aos municípios de 5 mil e10 mil habitantes”, salienta o diretor.


Ainda junto ao Conasems e aos Conselhos de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems), a SBC está prevendo aumentar a atuação do seu programa SOS Coração Amazonas – criado com o objetivo apoiar a assistência médica da população do Amazonas por meio de telemedicina –, para outras regiões da Amazônia e do país, expandindo, consequentemente, o número de pessoas atendidas.


SBC vai à escola

Vale ainda o destaque para o Projeto SBC vai à Escola, cuja finalidade é trabalhar a conscientização dos estudantes das redes municipal e estadual de ensino fundamental e médio, na promoção de saúde e na prevenção de doenças cardiovasculares. A abordagem é realizada de maneira interativa e permite que a construção seja realizada numa via de mão dupla entre especialistas e comunidade escolar.


“Estamos trabalhando muito com a estratégia da prevenção na infância e juventude. Com o SBC vai à Escola trabalhamos como os professores para que eles sejam os instrumentos da orientação e do autocuidado desses jovens”, explica Saraiva.


Em atenção à prevenção às doenças cardiovasculares desde cedo a Sociedade Brasileira de Cardiologia firmou parceria com o Grupo Maurício de Sousa Produções, que desenvolveu material gráfico com dicas para conscientizar, de forma lúdica, crianças e adolescentes, sobre a importância de hábitos mais saudáveis no Dia Mundial da Atividade Física, em 6 de abril, e no Dia Mundial do Coração, comemorado em 29 de setembro.


O primeiro material destacou que o primeiro ponto importante a saber é que qualquer movimento do corpo, fazendo as tarefas do dia a dia, brincando, praticando um esporte ou mesmo trabalhando, pode ser considerado uma atividade física e faz muito bem para o seu coração e para a mente.

Em homenagem ao Dia Mundial do Coração, o material gráfico desenvolvido trouxe os dez passos para a saúde do coração.


“Esse tem sido o carro-chefe da Diretoria de Promoção de Saúde Cardiovascular com a SBC: promover a prevenção das doenças cardiovasculares, levando informação e conhecimento aos professores e a quem está à frente do cuidado da saúde da população brasileira. É investindo na linha de cuidado que vamos diminuir o número de mortes e de pacientes nos hospitais”, conclui Saraiva.


105 visualizações