Consumo calórico adequado e alimentos ricos em fibras contribuem com o controle do diabetes

Um dos fatores de risco para doenças cardiovasculares, o diabetes é uma doença crônica, frequente e preocupante, que tem relação com a idade e, principalmente, com o peso corporal


Com a população cada vez mais longeva, focar nos cuidados à saúde dos idosos é fundamental para sua qualidade de vida. No Dia Nacional da Saúde e Nutrição, comemorado em 31 de março, a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) convoca a sociedade a olhar para o tema com atenção.

A principal preocupação em relação aos idosos é manter a massa muscular e a hidratação adequada. Muitas vezes o consumo de alimentos proteicos, especialmente de origem animal, pode causar certa dificuldade nos idosos que apresentam comprometimento de mastigação ou estão se adaptando a próteses dentárias. “É muito importante ingerir proteínas para evitar sarcopenia, que é a diminuição de massa muscular”, salienta Ana Maria Lottenberg, nutricionista do Núcleo de Nutrição do Departamento de Aterosclerose da SBC e pesquisadora do Laboratório de Lípides do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Segundo estudo sobre hábito alimentar de idosos portadores de diabetes e indivíduos sem diabetes, publicado no ABC Cardiol, periódico mensal da SBC considerado o principal veículo de divulgação das pesquisas cardiovasculares brasileiras, a alimentação saudável é um fator de proteção contra o diabetes tipo 2 e desempenha importante papel no tratamento do diabetes e das comorbidades associadas.

Foram entrevistados 13.649 idosos, no Brasil, com prevalência de diabetes de 27,2%. Nos indivíduos com a doença, observou-se maior consumo de hortaliças cruas e menor de frango, suco e doces. Os percentuais de idosos com consumo de leite desnatado e refrigerante dietético, hortaliças cruas e doces 3-4 dias/semana foram maiores nos portadores de diabetes, comparados àqueles que não têm a doença. A pesquisa revela a necessidade de promover intervenções para alimentação saudável entre todos os idosos, bem como orientações específicas para os indivíduos com diabetes.

Não existem alimentos prejudiciais às pessoas com diabetes, mas sim, padrões alimentares inadequados, de acordo com Ana Maria. A alimentação correta para uma pessoa com diabetes é composta por alimentos fontes de fibras, como frutas, legumes, verduras e grãos (feijão, ervilha, lentilha, grão de bico), principalmente fibras solúveis, que são aquelas que diminuem a velocidade de absorção da glicose. Outras fontes de fibras são os carboidratos, como aveia, pão integral e arroz integral.

Produtos lácteos desnatados e carnes magras, como de peixe e frango, também são recomendados. Importante lembrar que o corte do peito do frango tem alto valor proteico, sendo fonte importante de proteínas com menor quantidade de gorduras. “As carnes vermelhas não são proibidas, mas devem ser consumidas em quantidades moderadas. O ideal é que nas 14 refeições da semana predomine o consumo de peixes e carnes magras”, explica Ana Maria. Em relação à quantidade dos alimentos, depende muito do valor calórico da dieta indicada para cada indivíduo.

A adequação calórica é outro ponto fundamental. De maneira geral, os idosos seguem dois padrões alimentares: alto ou baixo consumo calórico. Às vezes, pelo baixo consumo proteico, podem priorizar mais doces e carboidratos. “O principal ponto quando pensamos no controle da diabetes é a adequação calórica da dieta, pois 80% dos indivíduos portadores da doença apresentam excesso de peso ou obesidade”, destaca a nutricionista.

Os alimentos ultraprocessados são os piores para a saúde do coração, pois alguns deles são ricos em gorduras trans, gorduras interesterificadas (modificadas quimicamente) e óleo de palma, que aumentam o LDL colesterol, chamado de colesterol ruim. As carnes gordurosas, os embutidos e a gordura de coco também são fontes de ácido graxo saturado, prejudicial à saúde do organismo. Quanto ao leite e derivados, que também são fonte de gorduras saturadas, recomenda-se aqueles com menor teor de gordura.


Marcelo Heitor Vieira Assad, presidente do Departamento de Aterosclerose da SBC, reforça que o diabetes tem relação com a idade e, principalmente, com o peso. “Alimentação balanceada, com controle adequado e acompanhamento com endocrinologista e nutricionista, somada e uma rotina de exercícios físicos, ajuda muito no controle e na redução da evolução dessa doença crônica, que é frequente e preocupante, lesando órgãos de uma forma global, como olhos, rins, coração e vasos”, salienta.

80 visualizações