Congresso do DHA/SBC discute o ser humano, o coração e a hipertensão

Com mais de 20 mil participantes, o evento online e gratuito reúne especialistas, comunidade científica e importantes associações no continente americano no que diz respeito a doença hipertensiva e cardiovascular para tratar do tema de maior abrangência na cardiologia


Começou na quarta-feira, 27 de outubro, o XVII Congresso do Departamento de Hipertensão Arterial da SBC, maior evento das Américas, com mais de 20 mil participantes inscritos e que tem foco no assunto mais abrangente da cardiologia: a hipertensão. Promovido pelo Departamento de Hipertensão Arterial (DHA), da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), o evento totalmente online e gratuito, acontece até 30 de outubro, em conjunto ao XVIII Congresso da Sociedade Latino-Americana de Hipertensão Arterial (LASH); ao VII Congresso da Sociedade Centro-Americana de Hipertensão e Prevenção Cardiovascular (SCCH), e ao IV Artery LATAM (sociedade dedicada ao estudo do envelhecimento cardiovascular).


O objetivo do Congresso é enriquecer o conhecimento voltado para o ser humano, o coração e a hipertensão e chamar a atenção para o quanto esta doença pode influenciar em nossa saúde na totalidade.


“Temos que viver tudo o que a vida tem para nos dar, isso significa aceitar os desafios, sejam eles bons ou ruins, saber que em qualquer segundo tudo pode mudar e a pandemia nos mostrou isso de uma forma muito clara. Fazer sem esperar nada em troca, correr sem desviar da rota, acreditar no sorriso e não se dar por vencido. E, acreditar no sorriso tem tudo a ver com o tema central desse congresso que remete a doença hipertensiva, lembrando que por trás dessa doença existe um coração e um ser humano e isso precisa encarado como algo único”, enfatizou Weimar Sebba Barroso, presidente do Congresso.


Barroso salientou ainda o desafio que envolveu promover um evento desta magnitude no formato digital, em especial em uma região como a América Latina, onde o contato pessoal é bastante valorizado. Também reforçou que a realização só foi possível graças ao apoio associativo e científico das sociedades que compõem esse encontro, trazendo a importância que cada uma representa no continente americano no que diz respeito a doença hipertensiva, cardiovascular e outras doenças que atingem à população. Além do empenho de toda a equipe que se dedicou a atingir os objetivos ousados propostos pela organização.


Audes Feitosa, presidente do Departamento de Hipertensão Arterial - DHA/SBC, complementa que a despeito do momento delicado pelo qual estamos passando no último biênio, por conta da COVID-19, existe a necessidade de seguir, mesmo que com adaptações, com ações que visem a disseminação do conhecimento, como é o caso desta e uma série de iniciativas replanejadas e reformuladas pelo DHA que possibilitaram manter esse propósito.


Feitosa salientou ainda que o Brasil apresentou uma produção científica intensa, não só para apoiar o enfrentamento da pandemia, como também está à frente do maior estudo sobre hipertensão arterial até o momento, o Optimal Diabetes e Optimal Stroke. “Não podemos deixar de agradecer a todas as pessoas que viabilizaram esse evento, aos nossos patrocinadores e a todos os ex presidentes do DHA que nunca me deixaram, se quer por um instante sozinho, nessa desafiadora jornada”, acrescenta o presidente do DHA.


A importância de juntar esforços e promover ações maiores em prol de uma mesma causa, foi destacada pela diretora dos departamentos da SBC, Andréa Araújo Brandão. Segundo ela, o XVII Congresso DHA/SBC, é um momento histórico na gestão da atual diretoria da SBC, pois reflete a força que os departamentos têm na disseminação do conhecimento, representando as áreas da cardiologia, em diferentes frentes e capilarizando uma série de ações científicas.


“Não há dúvidas que esse caráter internacional agrega a este congresso uma abrangência cientifica muito mais ampla, além de uma possibilidade de inteiração e de proporcionar um intercâmbio científico muito atrativo para todo público. A programação está bastante especial e muito voltada à prática clínica e o que há de mais recente no conhecimento sobre hipertensão arterial”.


Celso Amodeo, presidente da SBC, também deu as boas-vindas aos participantes do congresso e ressaltou a relevância do tema. A hipertensão é principal fator de risco para doenças cardiovasculares, que no que lhe concerne, são a primeira causa de morte no Brasil. “A programação científica certamente ajudará na prática clínica no dia a dia. E, o Congresso é uma possibilidade de interagir com colegas de toda a América e também alguns da Europa. Estou aguardando com muita expectativa esse evento”.


Amodeo finalizou convidando os participantes para participarem do Congresso Brasileiro de Cardiologia, que acontecerá de 19 a 21 de novembro online; e para o Congresso Mundial de Cardiologia, que está previsto para ocorrer no Rio de Janeiro (presencial), de 13 a 15 de outubro de 2022.


“Para nós é uma honra participar da organização da programação científica e espero que todos possam aproveitar todo o conhecimento que será compartilhado pelos grandes experts, que estarão presentes nas sessões ao longo desses três dias”, complementou Eduardo Costa Duarte Barbosa, presidente da Artery LATAM, complementou.


Já Augustin Ramirez, presidente da LASH, além de reafirmar o compromisso da organização com o desenvolvimento científico, homenageou e relembrou o médico venezuelano, Manuel Velasco, que faleceu no último dia 9 de outubro, por sua importância para comunidade acadêmia e científica. “É com profundo pesar que faço esse comunicado. Velasco foi referência e líder pesquisas sobre hipertensão arterial na América Latina e participou de diversos fóruns internacionais sobre o tema. Além disso, foi um dos fundadores e também o primeiro presidente da LASH”.


O empenho do time também foi salientado pelo presidente da SCCH, Osiris Valdez, como fundamental para que o Congresso pudesse ser equiparado a outros importantes congressos em âmbito mundial. “Temos conferências e conferencistas de alto nível participando dessas discussões. Para nós, é um prazer participar e estaremos sempre dispostos a colaborar nesse tipo de evento para o desenvolvimento do nível cientifico em nossos países. E esperamos que, no próximo ano, possamos nos ver pessoalmente”.


O primeiro dia de evento contou ainda com três conferências magnas: a primeira, que teve à frente o presidente do DHA/SBC, Audes Feitosa, ministrando a palestra “Estado da Arte na Monitorização Residencial da Pressão Arterial”; a segunda “Combinaciones fijas de antihipertensivos en el tratamiento inicial del hipertenso: un gran reto para la práctica médica actual”, com o professor da Universidade de Barcelona, Antonio Coca; e a terceira conferência “Diabetes e hipertensão, unidos para o mal”, ministrada pelo Presidente da Sociedade Centroamericana e do Caribe de Hipertensão Arterial e Prevenção Cardiovascular, Osiris Valdez.


Além disso, o evento estará dividido em três auditórios virtuais, onde ocorrem simpósios, colóquios, miniconferências e mesas-redondas. O congresso tem tradução simultânea para o inglês, espanhol e conta com a participação dos principais nomes que se dedicam à pesquisa e estudo da doença hipertensiva. São mais de 125 especialistas do Brasil, de países latino-americanos, dos Estados Unidos e Europa que trarão suas experiências para o novo universo da transmissão do saber científico.


Mais informações, programação completa e inscrições gratuitas no site do evento. Acesse https://dha2021.com.br/

92 visualizações