Comissão reformula edital do exame do TEC conforme normativa da AMB

O próximo passo será uma reunião especificamente sobre a prova de título, para que as questões tenham conteúdo pedagógico e de avaliação mais preciso



Foi realizada no dia 4 de junho, a primeira reunião da CJTEC – Comissão Julgadora do Título de Especialista em Cardiologia. O encontro virtual teve como objetivo analisar e reformular o edital do exame do Título de Especialista em Cardiologia (TEC) conforme normativa da Associação Médica Brasileira (AMB).


O exame do TEC tem como intuito distinguir o profissional médico apto a exercer a especialidade de Cardiologia Clínica, que tenha apresentado formação médico-científica adequada, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e a legislação vigente.


Rodrigo Barretto, coordenador da CJTEC e responsável por conduzir a reunião, explica que a AMB estipulou que haja duas ou três modalidades de prova: uma teórica com questões de múltipla escolha; outra teórico-prática, com a discussão de casos clínicos, que também pode ser de múltipla escolha; e uma terceira prova prática. “Como há cerca de 1.400 candidatos ao título do TEC por ano, a prova prática não é viável para nós. Então faremos dois módulos: um voltado para assuntos teóricos e outro para assuntos envolvendo a prática da profissão, com discussão de casos clínicos, imagens, métodos gráficos, etc.”, conta.


Outro ponto importante e bastante sensível, na opinião de Barretto, envolve uma mudança na normativa da AMB. Até o ano passado, era possível acrescentar à nota da prova cerca de 20 pontos referentes à análise curricular do candidato, incluindo formação, envolvimento com pesquisa, participação em congresso, engajamento social, entre outros. No entanto, a nova regra limita esse acréscimo a 10 pontos. “Dessa forma, a nota de corte vai mudar. Até o ano passado, seriam 120 pontos possíveis e a nota de corte era 70%, ou seja, 84 pontos. Neste ano, como o máximo de pontos chegará a 110, sendo 100 da prova e 10 de análise curricular, a nota de corte será 77. Por isso, é importante o candidato ter essa noção”, expõe.


Durante a reunião, foi feita uma reanálise do edital e, a partir de então, o material passará pelo departamento jurídico da SBC, retornando à CJTEC para uma segunda conferência. Após isso, o texto será enviado para a AMB, que dará a chancela para a publicação. “Esta publicação também conterá o calendário, que foi discutido na reunião, incluindo a data de inscrição, de envio de documentos e outras informações importantes”, acrescenta Barretto.


O próximo passo será uma reunião no início do segundo semestre para tratar especificamente da prova de título. As questões serão reformuladas e avaliadas para que tenham conteúdo pedagógico e de avaliação mais preciso.


“A obtenção do Título de Especialista em Cardiologia é fundamental porque sacramenta uma formação sólida e atual, que tem grande importância não só do ponto de vista pessoal, mas também profissional, já que para atuação em muitos serviços, convênios de saúde e participação em concursos, é necessário ter o título obtido por meio da prova da SBC e, obviamente, chancelada pela AMB”, finaliza.


1.868 visualizações