Cardiologia de pai para filho

Em homenagem ao Dia dos Pais, a SBC compartilha histórias de pais e filhos cardiologistas que inspiram e orgulham com suas disponibilidades e aptidões em cuidar do próximo


Neste domingo, 8 de agosto, é comemorado o Dia dos Pais, data para celebrar a vida e as conquistas através de um elo de amor incondicional. Por isso, a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) homenageia todos os progenitores cardiologistas compartilhando duas histórias que perpetuam legados nessa especialidade médica. Pais e filhos que inspiram e orgulham com suas disponibilidades e aptidões em cuidar do próximo.


Leandro e André Zimerman

Para o Residente em Cardiologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, André Zimerman, seu pai, Leandro Zimerman, sempre foi seu ídolo em todos os seus passos, tanto pessoalmente quanto no âmbito profissional. Vê-lo ser reconhecido pelas pessoas, especialmente pelos pacientes, e enxergar ali a satisfação com o trabalho realizado em prol dos outros ainda causa impacto em toda família. O jovem não esconde que essas reações o influenciaram, orgulhoso, a seguir carreira na medicina e, posteriormente, a escolha pela cardiologia.


“Além da interação pessoal, nós temos uma interação profissional. Claro que é muito mais eu ligando para ele para tirar dúvidas, resolver algum problema. Trabalhamos juntos no Hospital de Clínicas de Porto Alegre, estamos em um mesmo projeto de pesquisa, existe uma interação além de pai e filho, algo como professor e aluno, as coisas acabam se misturando. Tem horas que eu não sei se chamo ele de pai, de professor, de Leandro”, fala Zimerman filho.


Leandro Zimerman tem verdadeira paixão pela cardiologia e acredita que exemplos fazem mais diferença que ensinamentos e lições. Segundo ele, se de alguma forma conseguiu transmitir para seu filho o quanto gosta do que faz e que primeiro é preciso ser feliz fazendo o que ama, já é motivo para celebração.


“Não é só a questão da cardiologia, é a questão do exemplo, é vermos que um filho está seguindo um caminho de autenticidade, de fazer o que gosta, reconhecendo o que nós fazemos e é uma ligação que vai ficar para o resto da vida. É um assunto que vamos poder compartilhar sempre. Hoje, eu ainda ensino muito para ele e cada vez mais ele vai me ensinar”, reflete Zimerman pai.


“Me sinto absurdamente feliz. Olha que coisa maravilhosa, pai e filho cardiologistas. Estou contando para a SBC como é poder compartilhar com um filho algo profissional. Não consigo imaginar como tudo pode funcionar melhor. Ser, de alguma forma, exemplo e ver como meu filho está fazendo coisas bonitas, que estou deixando um legado que vai se perpetuar... Não há nada melhor do que isso”, completa Leandro.


Marianna e Jadelson Andrade (à direita)

A relação de afeto e respeito máximo, mas sobretudo de referência profissional é compartilhada também entre Jadelson Andrade, ex-presidente da SBC, e sua filha Marianna Andrade. Ambos são cardiologistas no Hospital da Bahia, onde dividem o consultório.


Para Marianna, o pai é exemplo não apenas de homem, mas de um brilhante médico que dedicou sua vida à carreira e dedica até hoje com muito retorno de sucesso e satisfação pessoal, sendo orgulho para todos que convivem com ele. Ela diz que não escolheu a profissão, mas foi escolhida, quando ainda jovem foi desperta para essa vocação baseada na interação com o pai.


“Tão logo tive contato com a medicina, já na faculdade, me apaixonei pela cardiologia muito mais pela possibilidade de seguir o exemplo dele. Fiz a minha formação sempre objetivando orgulhá-lo, não só a ele como a toda família, mas principalmente meu pai por ser a sua imagem e espelho. Para mim, é motivo de muito orgulho a possibilidade de conviver com ele, um pai maravilhoso, um médico excepcional, um conselheiro e mestre de todas as minhas ações futuras dentro da minha profissão e dentro da cardiologia, em especial”, revela a filha.


O ex-presidente da SBC recebeu com muita alegria a notícia de que sua filha seguiria, por opção própria, a profissão que ele também escolheu seguir quando jovem, que é cuidar dos problemas do coração das pessoas, órgão tão importante e vital para o organismo humano.


“Saber que ela resolveu trafegar pela mesma estrada construída por mim anos atrás, participando da profissão junto comigo, dividindo consultório, dividindo o serviço de cardiologia aqui na Bahia, coordenando atividades de cardiologia, fazendo conferências, exercendo atividades na SBC, da qual eu fui presidente e agora a vejo também participando da atual diretoria, fazendo atividade científica, é muito gratificante. É olhar para trás e dizer que eu segui o caminho certo. Ter uma filha navegando aonde naveguei e exercendo a medicina com os mesmos princípios éticos que eu, é muito relevante. Sinto-me muito feliz por vê-la até se sobrepujando ao pai em algumas atividades”, finaliza Andrade.


A SBC deseja a todos os pais, especialmente os cardiologistas e sócios da entidade, um Feliz Dia dos Pais!

157 visualizações