A utilização da impressão tridimensional como um avanço em plastias cirúrgicas da válvula mitral
A utilização da impressão tridimensional como um avanço em plastias cirúrgicas da válvula mitral

13/03/2024, 18:38 • Atualizado em 12/03/2024, 10:15

 

Uma abordagem inovadora pode melhorar o planejamento e os resultados cirúrgicos da cirurgia de tratamento da regurgitação mitral

A regurgitação mitral é uma prevalente causa de insuficiência cardíaca, com maior incidência em indivíduos acima de 65 anos. O principal tratamento de escolha é a plastia mitral, com benefícios comprovados por diferentes estudos. Apesar disso, a abordagem apresenta uma elevada dificuldade técnica e requer alta qualificação do cirurgião responsável.

Com objetivo de melhorar o planejamento das cirurgias de recuperação da válvula mitral, um trabalho experimental foi realizado por uma equipe de cardiologistas no Rio de Janeiro. Os resultados podem ser conferidos no artigo “Utilização da Impressão Tridimensional nas Plastias Cirúrgicas da Valva Mitral”, publicado recentemente na revista ABC Imagem Cardiovascular.

“O papel do trabalho é gerar um melhor planejamento cirúrgico, bem como proporcionar um treinamento médico avançado para melhorar os resultados dos procedimentos”, diz Rodrigo Bahiense Visconti, autor do artigo.

Existem diferentes tipos de tratamento para a regurgitação mitral, dependendo, dentre outros fatores, da causa da condição. A mais frequente no mundo todo é a causa degenerativa, que atinge pacientes de maior faixa etária. Nestes casos, o reparo valvar costuma ser mais simples e com melhores resultados a longo prazo.

“A plastia quando bem-sucedida, como demonstrado em muitos trabalhos, apresenta uma maior durabilidade, menor mortalidade, menor taxa de complicações a longo prazo e não necessita anticoagulação posterior”, explica Rodrigo.

Ele ressalta que as próteses valvares possuem uma vida útil, sendo necessária a realização de um novo procedimento no futuro. Pensando nos desafios que a plastia mitral apresenta, o trabalho avalia a viabilidade de modelos tridimensionais impressos para planejamento e treinamento cirúrgico.

“O objetivo é permitir, a cirurgiões já qualificados para plastia cirúrgica, um modelo para planejamento das técnicas a serem utilizadas, bem como a possibilidade de realizar um treinamento pré-cirúrgico”, ressalta ele.

Como atestado no artigo, os modelos impressos possuem grande semelhança em dimensões e forma com as válvulas reais do paciente, permitindo um comportamento semelhante em relação a cortes e suturas durante o procedimento cirúrgico.

“Outro objetivo seria utilizar os modelos para treinamento de cirurgiões com baixo volume cirúrgico em plastias ou para treinamento de residentes, em que podem ser oferecidos modelos com diversos defeitos e diferentes graus de dificuldade”, afirma Rodrigo.

A regurgitação mitral residual é uma das principais causas de reabordagem, pela necessidade de troca valvar. As complicações também são um fator importante na manutenção dos sintomas.

Os resultados do trabalho mostram que o modelo tridimensional é de baixo custo, reprodutível, apresentando queda na curva de aprendizado e dispensando modelos animais, podendo trazer benefícios para a cirurgia de tratamento da condição.

Logotipo da SBC

Sede - São Paulo

Alameda Santos, 705

11º andar - Cerqueira César

São Paulo - CEP: 01419-001

E-mail: sbc@cardiol.br

Sede - Rio de Janeiro

Av. Marechal Câmara, 160

3º andar - Sala: 330 - Centro

Rio de Janeiro - CEP: 20020-907

E-mail: sbc@cardiol.br

Telefone: (21) 3478-2700

Redes sociais

Link para LinkedInnLink para FacebookLink para TwitterLink para YouTubeLink para Instagram

Baixe o app Cardiol Mobile

Apple Store BadgeGoogle Play Badge
Certificação 9001 da SBC

Desenvolvido por:

Produzido por Docta