76º Congresso Brasileiro de Cardiologia promoverá educação médica e qualificação profissional

De 19 a 21 de novembro, em formato digital, maior encontro da especialidade nacional e latino-americana terá programação com participação das principais entidades mundiais


O 76º Congresso Brasileiro de Cardiologia, realizado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), ocorrerá de 19 a 21 de novembro, e, assim como em 2020, terá formato digital. Considerado o maior encontro da especialidade nacional e latino-americana, o evento proporcionará atualização científica e profissional, por meio de programação voltada para aprimorar a assistência aos pacientes.


Em 2021, o congresso pretende repetir o êxito da edição passada, quando promoveu encontro interativo com mais de 18 mil participantes, refirmando o compromisso da SBC de levar educação médica continuada em cardiologia de qualidade a todos os médicos do país, cumprindo, assim, o objetivo de contribuir com a qualificação dos cardiologistas, para reduzir os óbitos por doenças do coração.


“O 76º Congresso Brasileiro de Cardiologia será digital novamente e vamos manter a valorização de espaço para os principais temas livres, um momento de destaque aos pesquisadores brasileiros nas diversas categorias. Em 2020, três mil congressistas assistiram aos temas livres orais apresentados no primeiro dia de evento, ou seja, daremos, mais uma vez, oportunidade para aqueles que desenvolveram trabalhos apresentarem suas pesquisas”, fala o diretor científico da SBC, Fernando Bacal.


Mantendo a tradição, os simpósios realizados em conjunto com entidades internacionais parceiras estarão na programação deste ano, com participação do American College of Cardiology (ACC), American Heart Association (AHA), European Society of Cardiology (ESC), World Heart Federation (WHF), International Society of Cardiovascular Pharmacotherapy (ISCP), sociedades latino-americanas e de língua portuguesa.


Os departamentos, que são a base científica da SBC, estão elaborando suas mesas para conferências ao vivo e também on demand.


“Teremos sessões de Global Health, em que se discutirão aspectos da saúde cardiovascular no âmbito internacional, com palestrantes de outros países, que versarão sobre tecnologia, inovação, Covid-19, entre outras temáticas atuais. Ao final de cada dia, teremos ainda os highlights do evento”, antecipa Bacal.


Mesmo em tempos de pandemia, o congresso mostra a força da cardiologia brasileira, a capacidade e a responsabilidade da SBC em encontrar soluções adequadas para manter o contato dos cardiologistas com o conhecimento técnico, promovendo a troca de informações e experiências com a comunidade médica.


“É uma proposta da atual diretoria da SBC, que manteremos no Congresso Brasileiro de Cardiologia, discutir o caso clínico até a inovação. Teremos espaço para que os congressistas possam se atualizar discutindo casos clínicos em diversas áreas até o aspecto mais de ponta em inovação, pesquisa e tecnologia. Será um evento bastante amplo para uma atualização e para saber as inovações cardiológicas”, ressalta Bacal.


Integrante da comissão científica à frente do congresso, o presidente da SBC, Celso Amodeo, reforça que estão sendo desenvolvidos programas científicos bastante atuais, englobando o que há de mais recente sobre doenças cardiovasculares.


“Iremos debater sobre a interação com os problemas da pandemia e o envolvimento cardiovascular imediato, a curto, médio e longo prazos também. Hoje, muito se fala nas complicações tardias produzidas pela Covid-19. No caso do coração, a doença pode causar miocardite mesmo em pacientes que não apresentaram um quadro grave e até entre assintomáticos. Apesar de ser um evento anual, esse ano, particularmente, o Congresso Brasileiro de Cardiologia trará bastante novidades sobre as complicações cardiovasculares relacionadas com a pandemia”, revela Amodeo.

434 visualizações