• Cardiol

Percepção inadequada do risco CV e do conhecimento sobre Hipercol Familiar em indivíduos com Hiper..

  • Tiago Senra - Co-Editor de Mídias Sociais do ABCcardiol

Fundamentação: A hipercolesterolemia é um fator causal de doença cardiovascular aterosclerótica (DCVA) comprovado por vários estudos. Indivíduos com a forma grave (LDL-C>190mg/dL) podem ser portadores da hipercolesterolemia familiar (HF) heterozigótica, doença associada a risco 10-13 vezes maior de desenvolvimento de DCVA e que requer investigação e manejo apropriados.

O objetivo do estudo (1) foi avaliar o rastreamento em cascata, tratamento farmacológico e o conhecimento e percepção do risco de DCVA por parte de pacientes em programa de avaliação periódica de saúde.


Metodologia: estudo descritivo que incluiu 200 indivíduos participantes de programa de avaliação periódica de saúde maiores de idade e que apresentavam LDL-C>190mg/dL sem uso de estatina ou LDL-C>160mg/dL em tratamento com estatina. Os participantes responderam a questionário estruturado e tiveram seus dados clínicos e laboratoriais registrados.


Principais resultados: A maioria dos pacientes incluídos foi do sexo masculino (84%), com média de idade de 48 anos e nível de escolaridade superior (95%). O colesterol total médio foi de 290mg/dL e o LDL 209mg/dL. A maior parte (82%) dos pacientes não se considerava como de alto risco para DCVA, não tinha ouvido falar sobre HF (76%) e não tinha conhecimento sobre suas metas de LDL-C (70%); parcela expressiva (42%) não tinha conhecimento de que a hipercolesterolemia poderia ser doença hereditária e apenas 4,5% tiveram seus parentes chamados para investigação. Ainda, 37% dos pacientes não usavam hipolipemiantes. Dentre os com suspeita de HF (14% do total), apenas 17% relataram rastreamento em cascata de familiares e 17% não usavam nenhuma terapia hipolipemiante.


Conclusão: o estudo identificou lacunas importantes na percepção do risco por parte dos pacientes, investigação e tratamento da hipercolesterolemia grave; achados também identificados naqueles com suspeita de HF.

Impacto clinico: os resultados indicam baixo conhecimento da doença e baixa percepção do risco por parte dos pacientes, achados ainda mais relevantes tendo em vista o alto nível educacional dos participantes do estudo. A investigação e o tratamento também estão aquém das recomendações de diretrizes do manejo de hipercolesterolemia grave e HF. O desenho do estudo não permite especular sobre as causas desses fenômenos - aspectos relacionados ao engajamento dos pacientes com sua doença/investigação/ tratamento e/ou aspectos relacionados à educação médica. No entanto, identifica caminhos relevantes para o controle da hipercolesterolemia grave e HF, passo fundamental rumo à diminuição de eventos cardiovasculares.

Referência Bibliográfica:

  1. Santos RD, Pereira C, Cesena F, Laurinavicius AG, Tabone V, Bittencourt MS. Percepção Inadequada do Risco Cardiovascular e Baixo Conhecimento sobre Hipercolesterolemia Familiar em Indivíduos com Hipercolesterolemia Grave. Arq. Bras. Cardiol. 2021;116(4):706-12.


68 visualizações