AGAD nomeia membros do Conselho Administrativo na transição para novo modelo de gestão da SBC

O Conselho Administrativo é composto por dez membros, sendo dois de cada região definida pela Sociedade

No dia 19 de novembro foi realizada a Assembleia Geral de Delegados Associados (AGAD) para nomeação dos membros do Conselho Administrativo (CA) que entrarão em atividade a partir de 2022, seguindo mudança no Estatuto Social da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

Pelo novo modelo de gestão, deixou de existir um presidente e uma diretoria, passando a ser um Conselho Administrativo e o presidente do Conselho Administrativo. Este Conselho é o órgão maior abaixo da AGAD, que vai tomar todas as decisões da entidade.


O Conselho Administrativo é organizado em cinco comitês: Pesquisa e Inovação; Qualidade Assistencial; Científico; Departamentos; e Relações Internacionais, que trabalharão em conjunto. No total são dez membros, dois médicos de cada região definida pela SBC: Sul, Norte/Nordeste, Central (que envolve Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal), Leste (englobando Rio de Janeiro e Espírito Santo), e Paulista (que envolve apenas São Paulo).

“O Conselho, por sua vez, elege um dos membros para presidente. Ele responderá pela SBC onde houver a necessidade de um representante legal, seja do ponto de vista jurídico, seja do ponto de vista social. Eu sou o último presidente da SBC”, explica Celso Amodeo.

A mudança foi necessária porque, no regime presidencialista, muitas das decisões eram tomadas monocraticamente. Todas as atribuições eram do presidente, embora houvesse uma diretoria, que atuava em sua dependência. Já o presidente do CA não tomará nenhuma decisão sem aprovação do Conselho Administrativo.

“Acreditamos que este novo formato irá fortalecer a união, o consenso e a sinergia de ações na condução da SBC. Importante destacar a coragem e a dedicação da atual diretoria da SBC, liderada por Marcelo Queiroga e Celso Amodeo, para implementar essa impactante transformação, da qual já podemos perceber os resultados. O primeiro Conselho está composto por membros experientes, com contribuições prévias à SBC e que passam a trabalhar juntos e alinhados pelo bem comum da nossa sociedade. Estamos com você para ter a cardiologia brasileira mais forte e unida pelas mãos da SBC”, diz mensagem do CA enviada aos associados.


A atual diretoria se dissolve em 31 de dezembro, entrando em vigor o novo modelo de gestão, cuja posse ainda não tem data definida, mas será em janeiro.

Planos e expectativas

O presidente do Conselho Administrativo já foi eleito: João Fernando Monteiro Ferreira. O médico, que encerra este ano seu cargo como presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, já foi diretor científico do Departamento de Cardiologia Clínica (DCC-SBC) e coordenador da Comissão de Julgamento do Título de Especialista (CJTEC).

A duração dos mandatos do Conselho Administrativo é de três anos. Em 2022, a AGAD vai eleger um terço do Conselho, por isso, nesta primeira gestão há mandatos de um, dois e três anos, para ajustar. Após três anos, todos os membros terão três anos de gestão, e as trocas de um terço do conselho serão realizadas anualmente.

Ferreira adianta que os planos da nova gestão são implementar e consolidar o novo modelo de governança, além de manter as atividades científicas com alto valor e retomar as atividades presenciais. “Sem dúvida, o evento de destaque em 2022 será o 77º Congresso Brasileiro de Cardiologia, que ocorrerá junto com o Congresso Mundial de Cardiologia, no Rio de Janeiro, em outubro”, destaca.

Segundo Weimar Kunz Sebba Barroso de Souza, conselheiro da Região Central, as expectativas para as atividades do CA são muito boas, mas há um enorme desafio pela frente, pois trata-se de uma grande mudança na governança da SBC. “Estamos mudando para um modelo mais maduro, parecido com o do American College of Cardiology e da European Society of Cardiology, com decisões compartilhadas”, comenta o médico, que é professor associado de Cardiologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás. Na SBC, foi diretor de Promoção de Saúde Cardiovascular da Funcor, presidente do Departamento de Hipertensão Arterial, além de presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia Regional Goiás.


O principal ponto que será foco do Conselho neste primeiro mandato, salienta Souza, é a reestruturação de regimentos e estatutos, o que já vem acontecendo. “Além disso, vamos dar continuidade a todo esse trabalho fantástico que vem sendo feito ao longo dos últimos anos pelas gestões que nos antecederam. A SBC é a terceira maior sociedade de cardiologia do mundo, com grande contribuição em escala mundial”, ressalta.


Já as expectativas de Andréa Araujo Brandão, conselheira da Região Leste, são as melhores possíveis. “Estou muito animada com a possibilidade de ver e participar da implantação desse novo modelo de governança, entendendo que é desafiador, já que a Sociedade vinha seguindo o mesmo regime de governança desde sua fundação. De qualquer forma, todo desafio é bom, porque tentamos através dele crescer, aprender, aprimorar e contribuir mais para a nossa SBC”, expõe.

Andréa é professora titular de Cardiologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, fellow do American College of Cardiology e da European Society of Cardiology. Em sua última gestão na SBC, foi diretora de departamentos. Também atuou como diretora e presidente do departamento de hipertensão arterial, diretora financeira, além de diretora da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro.


A médica comenta, ainda, a possibilidade de interagir com colegas de várias regiões do país. “Essa troca de experiências enriquece a visão e a tomada de decisão em relação a todas as questões da SBC. Na primeira interação, já tivemos uma reunião muito agradável, amigável e construtiva. Acredito então que será uma experiência muito boa para todos”, finaliza.

Conselho Administrativo (CA)

Região Norte/Nordeste:

Dr. Nivaldo Menezes Filgueiras Filho – Mandato de um ano

Dr. Sérgio Tavares Montenegro – Mandato de dois anos

Região Central:

Dr. Carlos Eduardo de Souza Miranda – Mandato de dois anos

Dr. Weimar Kunz Sebba Barroso de Souza – Mandato de três anos

Região Leste:

Dr. Denilson Campos de Albuquerque – Mandato de dois anos

Dra. Andréa Araujo Brandão – Mandato de três anos

Região Paulista:

Dr. Celso Amodeo – Mandato de um ano

Dr. João Fernando Monteiro Ferreira – Mandato de três anos

Região Sul:

Dr. Gerson Luiz Bredt Júnior – Mandato de um ano

Dr. Paulo Ricardo Avancini Caramori – Mandato de três anos

CELEP e ConFi

Também durante a AGAD do dia 19 de novembro, foram nomeados os membros da Comissão Eleitoral e de Ética Profissional (CELEP) e do Conselho Fiscal (ConFi):

CELEP

Membros Titulares:

Dr. Osni Moreira Filho (reconduzido) – Mandato de três anos

Dr. Henrique Patrus Mundim Pena – Mandato de três anos

Dra. Ieda Biscegli Jatene – Mandato de dois anos

Dr. Audes Diógenes de Magalhães Feitosa – Mandato de dois anos

Dra. Luciana Reis Katz Weiand – Mandato de um ano

Membros Suplentes:

Dr. Ricardo Simões – Mandato de três anos

Dr. Evandro José Cesarino – Mandato de três anos

Dr. Oscar Pereira Dutra – Mandato de dois anos

Dr. Marcus Vinícius Bolívar Malachias – Mandato de dois anos

Dra. Olga Ferreira de Souza – Mandato de um ano

ConFi

Membros Titulares:

Dr. Ricardo Pavanello (reconduzido)

Dr. Eduardo Costa Duarte Barbosa

Dra. Gláucia Maria Moraes de Oliveira

Membros Suplentes:

Dr. Carlos Eduardo Rochitte

Dra. Dilma do Socorro Moraes de Souza

Dr. Ricardo Alkmim Teixeira


204 visualizações